ANNALES DE PHILOSOPHIE CLASSIQUE
ISSN 1982-5323

Volume V - 2011

numéro 9

   Art et éducation Morale chez Platon
Pierre Destrée

   Princípios da natureza na Física A, de Aristóteles : pré-socráticos, Platão
José Gabriel Trindade Santos

   Heraclitus latinus
Lucia Saudelli

   Ser, dizer e pensar no Livro IV da Metafísica de Aristóteles
Francisco de Moraes

   The Pray of the Children : saving the phaenomena
Laura Candiotto

Veja mais artigos

dissoi logoi

 

Veja mais resenhas

derniers numéros

NUMÉRO 10. 2011 vol. V
NUMÉRO 9. 2011 vol. V
NUMÉRO 8. 2010 vol. IV
NUMÉRO 7. 2010 vol. IV
NUMÉRO 6. 2009 vol. III
NUMÉRO 5. 2009 vol. III
NUMÉRO 4. 2008 vol. II
NUMÉRO 3. 2008 vol. II
NUMÉRO 2. 2007 vol. I
NUMÉRO 1. 2007 vol. I

touts les numeros

numéro 10

   As quatro causas na filosofia da natureza de Aristóteles
Lucas Angioni

   A mãe dos deuses também era estrangeira
Carlos Lemos

   A caverna platônica e o teatro da cidade : o mito do livro VII da República entre Bacantes, Rãs, Antígona e Paz
Massimo Stella

   Dramaturgia cômica : razões platônicas para apreciar Aristófanes
Luísa Severo Buarque de Holanda

   Platão e seu diálogo com a comédia
Antônio Queirós

Veja mais artigos

traduction

   Aristóteles : O Tratado do Lugar e do Vazio (Física IV, 1-9)
Trad. Arlene Reis (UFSC), Fernando Coelho (UFSC) e Luís Felipe Bellintani Ribeiro (UFSC)

   Marsilio Ficino : Comentário sobre o Banquete de Platão - segundo discurso - Pausânias
Andrea Maria Mello e Luziane Perrini

Veja mais obras

Ce numéro des AFC a été réalisé dans le cadre de coopération scientifique de l' accord Capes/Cofecub : "Les Origines du Langage Philosophique : stratégies rhétoriques et poétiques de la sagesse antique" .
.

 

 

 

Tradução: Aristóteles
O Tratado do Lugar e do Vazio (Física IV, 1-9)

Tradução por
Arlene Reis (UFSC), Fernando Coelho (UFSC) e Luís Felipe Bellintani Ribeiro (UFSC)

1. [208a 27] Assim como é necessário ao físico conhecer, acerca do infinito, se é ou não, como é e o que é, assim também acerca do lugar. Com efeito, todos supõem estarem os entes algures [30] (pois os não-entes estão nenhures: onde, afinal, estão o bode-veado e a esfinge?) e, do movimento, o mais comum e o principal é o segundo o lugar, o qual chamamos deslocamento. [32] Comporta muitas aporias a questão de saber o que, por ventura, é o lugar, pois não é o mesmo o que aparece aos que o contemplam desde todos os atributos que lhe correspondem. Ademais, não temos nada [35] da parte dos outros acerca do tema, nem formulações anteriores dessas aporias, nem suas respectivas soluções.

 
  Continua...    Veja mais traducoes  
 
Anais de Filosofia Clássica
fsantoro@matrix.com.br
21 2224.6379
Desenvolvido pela Manufato Marketing Online e Design
nouvelles

Appel à contribution

Les intéressés doivent envoyer les textes selon les normes presentées dans ce site..

Veja mais obras